FANDOM


Data 2 de fevereiro de 2007, Cenit - Casa dos Magisters.


Voltar ao Índice


É madrugada; os candidatos a Magisters, denominados "iniciandos" estão dormindo no aposento deles; atualmente são só os três: Anderson Paiva, Fabio Racoski e Rubens Figueiredo. É um quarto grande com 20 camas das quais as três ultimas são ocupadas por eles.

De repente acordando-os de um sono profundo, entra o guarda:
- Atenção iniciandos, o Magister Mor quer falar com vocês. Disse o guarda.
- Mas ele não dorme? são duas da manhã! Disse um dos iniciandos ainda quase dormindo.
- Não, ele nunca dorme! Respondeu o guarda.

02:15 da manhã, os iniciandos são postos pelo guarda em frente à porta da sala central onde o Magister Mor os espera, o guarda se afasta pois, nesta sala somente os Magisters podem entrar, sendo que os iniciandos nunca haviam visto seu interior.

Eis que se abre a porta, aparentemente sozinha, os três rapazes entram na sala, é uma enorme sala com uns 20 metros de altura com todas as paredes cobertas por estantes com livros e papiros, ao fundo está Leonardo Antonini, o Magister Mor, sentado com um pedaço de papel de aparência amarelada, com cara de ter centenas de anos.

- Olá, iniciandos, Anderson, Fábio e Rubens, venham cá. Disse o Magister Mor em tom amigável e ao mesmo tempo imperativo.
Eles se dirigiram em direção ao Magister Mor, sentando a sua volta, o Magister Mor inicia a falar:
- Há muitos e muitos anos, nós Magisters tínhamos como nosso maior bem a Pedra Filosofal, a qual diz a lenda tinha o poder de curar qualquer doença e transformar metais sem valor em ouro. Ocorre que há 650 anos para ser preciso, antes mesmo do Estado Pasárgado existir, Cenit se envolveu em uma guerra contra Margoria, um país de bárbaros sanguinários que a muito desapareceu, os quais invadiram nossas terras. A guerra durou mais de 15 anos até que foram completamente dizimados pela antiga classe de guerreiros do terceiro Circulo, ajudados por armas fabricadas pelos Alquimistas e estratégias militares desenvolvidas pelos Filósofos. Uma das maiores perdas, além das vidas, foi que para proteger a pedra filosofal o Magister Mor da época a escondeu em um lugar seguro que ficou desconhecido até hoje. Disse o Magister Mor.

- Até hoje??? quer dizer que sabe onde está? Pergunta um dos iniciandos.,br> - Sim e não. Tenho este papel e ele conta onde está, porem está escrito em um alfabeto antigo o qual eu não conheço, somente tenho a tradução de três palavras que são as seguintes. Disse o Magister Mor. Assim é mostrado o papel:

Magister mesagem pedra filosofal

- A missão de vocês é traduzir a mensagem do pergaminho! Usem as palavras traduzidas para ajudá-los; a mensagem está em português, só a escrita é que está diferente. disse o Magister Mor.
Então o Magister Mor sai da sala e os iniciandos permanecem pensando o que quer dizer o escrito.


Continua em II - O Significado, por Leonardo Antonini.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.