FANDOM


1200

Descoberta a fabricação do aço em Cenit pelo alquimista Ettore em 23 de janeiro.

1201

Em 13 de maio o cenitesense exilado Hugo Racoski invade Cenit, com uma infantaria de 200 homens, elfos e anões e uma cavalaria de 54 componentes entre eles 7 centauros, libertando-o do domínio Margoriano, com ajuda de armas melhoradas com a nova tecnologia do aço, sendo então nomeado chefe do povoado.

1202

O exercito margoriano tenta recuperar Cenit, atacando-o com uma tropa de 350 membros em 15 de dezembro, porém sofre muitas baixas e acaba se retirando em 27 de dezembro, para sitiar o povoado.

1203

Em 4 de abriu Hugo Racoski é informado de que o suprimento de água fora contaminado e de que os alimentos estocados estavam acabando então, em 11 de abril com o comandante das tropas da cidade Helio Pessoa, vai de encontro ao acampamento margoriano com 322 homens, elfos e semi-orcs de infantaria, e 115 membros de cavalaria entre eles os 7 centauros veteranos da Batalha da Independencia e contando com duas catapultas magisters. Em 15 de abril quase a totalidade dos margorianos tinha morrido, poucas dezenas conseguiram fugir para o norte.

1204

Em 8 de outubro Ettore é nomeado Magister Mor, logo após a morte de do Magister Mor anterior, Michelle Lavezzo.

1205

Em 28 de setembro inicia-se a construção das Muralhas de Cenit.

1206

Iniciam-se os chamados Anos de Ouro.

1207

É promovido o Primeiro Festival da Colheita no inicio da primavera, que viria a se repitir por todos os anos até os dias de hoje.

1208

Nasce o Filho de Ettore, Antonio em 5 de maio.

1209

O anão Don Armando Figueiredo, senhor das terras do norte assina tratado de apoio a Cenit em 9 de julho.

1210

Em 12 de novembro nasce Otto Racoski, filho de Hugo Racoski.

1215

Em 28 de julho termina a construção das Muralhas de Cenit.

1216

Terminam os chamados Anos de Ouro.

1217

Hugo Racoski é avisado que os Margorianos estão florescendo novamente e dentro de alguns anos terão novamente força para atacar Cenit, então ele ordena a construção de uma fortificação junto à fronteira de Cenit com Margoria no alto do Monte Figueiredo.

1218

A construção do Forte do Monte inicia-se em 1 de janeiro, sob a supervisão do senhor daquelas terras o Don Armando Figueiredo.

1219

Uma grande seca atinge Cenit, onde 15 pessoas morrem de sede e 50 tem algum tipo de seqüela permanente.

1221

Joana Racoski, esposa de Hugo Racoski morre por doença desconhecida.

1223

Em 17 de agosto termina a construção do Forte do Monte.

1224

29 de maio, é avistada tropa margoriana marchando para o sul, se aproximando do forte do monte. Em 1° de junho Hugo Racoski deixa seus filhos adolescentes sob a tutela do Magister Mór e se dirige juntamente com Helio Pessoa com 80% de toda sua tropa estimada em 1500 membros dos mais variados tipos dentre as três classes, indo de encontro ao Don Armando Figueiredo no Forte do Monte. Em 8 de junho os margorianos chegam as portas do forte e iniciam o ataque, o qual é contido pelos arqueiros elfos que estão já a tempos em prontidão no forte, as tropas de Cenit ainda estavam a 3 dias de distancia. Em 9 de junho novo ataque margoriano o qual resulta na morte de metade dos arqueiros elfos, mas que no entanto não tem sucesso e os margorianos recuam novamente quase sem baichas desta vez. Em 10 de junho no Forte do Monte começa-se a sentir um forte cheiro logo em seguida uma grande explosão resulta na destruição por completo da torre na qual ficavam os arqueiros elfos, com a morte que quase todos salvo 15 arqueiros que estavam fora no momento , numero este que não seria suficiente para resistir a um novo taque. Em 11 de junho ao raiar do sol uma gicantesca orda de soldados margorianos vem em direção ao forte do monte, neste momento certos da morte Don Armando Figueiredo e seus 15 arqueiros abrem os portões do forte e se colocam em posição de ataque preferindo morrer lutando defendendo a fortificação, a medida que astropas margorianas se paroximam a nenhum momento qualquer dos 16 treme, eis que quando o primeiro margoriano ataca este é abatido por uma flecha que não veio do forte e sim das tropas de Cenit que acabavam de chegar, ao iniciar-se a batalha, os soldados tanto de cenit quanto margorianos entram no forte, lá lutam como verdadeiras bestas selvagens, o sangues jorrava de suas veias como a água jorra de uma fonte; ao meio- dia já não se podia andar sem se pisar em sangue ou corpos; ao anoitecer poucos sobravam e os corpos sobre a pedra fria já começavam a feder, eis que por volta das 19 horas é ferido mortalmente Hugo Racoski. Já na manhã do dia 12 de junho todos os margorianos estavam mortos e do lado de cenit restaram vivos somente Helio Pessoa, Dom Armando Figueiredo, 4 soldados de cenit e um dos arqueiros elfos do forte; estava ganha a guerra, mas a que preço, somando-se ambos os lados mais de 3.000 mortes ocorreram naquele dia, e tamanha era a quantidade de corpos que se tornou inviável a retirada dos mesmos pelos sobreviventes vitoriosos, assim ficaram os corpos no Forte do Monte e dizem que até hoje pode se sentir o cheiro de sangue no ar.

1225

Em 15 de outubro Don Armando Figueiredo e Helio Pessoa receberam honras militares por seus feitos em campo de batalhga as quais foram recusadas pelos mesmos que disseram que matar não é uma coisa digna de adimiração ou prêmio, ambos cançados e traumatizados pela guerra deixaram Cenit indo com suas famílias para Icaria onde disseram eles, que poderiam levar suas vidas sem as horriveis lembranças.

1228

Inundação destrói parte da Muralha de Cenit a qual começa a ser recontruida em 16 de outubro.

1231

Ao completar 21 anos de acordo com as leis da época, Otto Racoski foi nomeado chefe da então cidade fortificada de Cenit em 22 de fevereiro.

1233

Otto Racoski cria em 15 de setembro o cemitério militar Fortaleza dos Guerreiro Mortos para colocar os corpos dos soldados mortos no Forte do Monte, porém o estado de decomposição dos corpos estava tão avançado que não podia-se destinguir os soldados de Margoria dos de Cenit, portanto nenhum deles foi retirado do forte para que não corressem o risco de levar o corpo de um inimigo para ser homenageado Sendo assim o novo cemitério passou a ser usado para os militares e demais pessoas que morressem heroicamente a partir daquele momento, atualmente este cemitério não existe mais pois nos idos de 1600 foi construido um novo.

1236

Nasce o filho de Otto Racoski, Hanz Racoski em 15 de maio.

1237

Nasce o filho de Antonio, Umberto em 22 de agosto.

1243

Foi noticiado que os poucos margorianos que restaram se mudaram mais ao norte, perto do litoral e fundaram a cidade de Margória, deixando de serem nômades.

1245

Em 3 de setembro é fundada a Ordem dos Filósofos por Augustus Paiva.

1246

Em 9 de janeiro morrem 5 crianças de uma doença desconhecida, pois já estavam doentes de outras coisas, muitos outros centisenses ficaram doentes menos os elfos e os que tinham mais de 60 anos. A doença dá dores no corpo e a pessoa não pode andar; aos poucos os cabelos caem e qualquer outra doeça, mesmo uma leve gripe pode levar o enfermo ao óbito. Devido a isso Otto Racoski se valendo se sua posição de elfo e o Magister Mór por já ter mais de 60 anos como també o filosofo Augustus Paiva, muito mais velho que os outros dois juntos, saem em busca da Pedra Filosofal, para usá-la para curar os doentes, em 15 de janeiro os três partem para o Pico do Gelo, o ponto mais alto de todo o Cenit.

1247

Em 2 de fevereiro o Magister Mór morre ao tentar escalar a montanha, em 7 de fevereiro Augustus Paiva e Racoski encontram a Pedra Filosofal dentro de uma caverna, em 12 de fevereiro Racoski cai e morre estatelado no abismo, resta a Augustus Paiva levar a Pedra Filosofal até Cenit, então o ancião prossegue em sua viagem. Em 22 de julho Augustus atravessa os portões de Cenit e em 1 de agosto todos estão curados.

1248

Devido a pouca idade de Hanz Racoski o mesmo não pode asumir o posto de líder de Cenit, sendo que para governa-lo foi criado um Conselho de Anciões.

1257

Ao completar 21 anos, Hanz Racoski asume o governo da Cidade Estado de Cenit mantendo o Conselho de Anciões ativo para ajudá-lo.

1258

Inicia-se o que ficou conhecido como a Paz de Hanz, a época mais pacífica de Cenit.

1262

Em 27 de outubro nasce o filho do Magister Mór Umberto, Maurizio.

1266

Em 31 de janeiro nasce a filha de Hanz Racoski, Frida Racoski

1268

Em 18 de maio nasce o filho de Hanz Racoski, Franz Racoski.

1270

Em 15 de julho chega informação de que a cidade de Margoria prospera e que atacou a Vila de Ignacius, simples pescadores, os quais foram anexados ao seu território, aparentemente retomando suas práticas imperialistas. No entanto Hanz Racoski tinha uma postura inabalavelmente pacifista e portanto não quis se envolver.

1276

Em 15 de maio se realizou um festival em honra dos 50 anos de vida de Hanz Racoski o qual infelismente foi um desatre, pois um grande incendio na feira central provocou a morte imediata de 15 pessoas, os demais feridos foram curados pela pedra filosofal.

1279

Morre Augustus Paiva com 173 anos, o homem mais velho que se tem registro em Cenit, alguns dizem que ele usou a Pedra Filosofal para chegar nesta idade tão avançada.

1282

Chegam noticias que os Magorianos anexaram mais dois territórios vizinhos, mais uma vez Hanz Racoski mantêve-se longe da disputa, apesar de ser avisado quee Cenit seria o alvo lógico quando Margoria estivesse forte novamente.

1288

Chegam informes de que os Margorianos tb haviam desenvolvido a capacidade de produzir aço, apesar de inumeros avisos do Conselho de Anciões e de seu proprio filho, Hanz permaneceu pacifico.

1289

Haz Racoski é encontrado em 23 de agosto morto com 26 punhais cravados por seu corpo.

1290

Em 1 de janeiro Franz Racoski asume o posto de líder da Cidade Estado de Cenit, sendo seu primneiro ato criar a Escola de Guerra na qual disse ele, “Nos prepararemos para os Magorianos”. – Termina a Paz de Hanz.

1296

Neste ano mais de 50% dos recursos do estado foram voltados para a área bélica.

1305

Neste ano todas as famílias de Cenit tinham pelo menos um de seus filhos engajados no serviço militar, tornou-se um orgulho pessoal para cada pai ter um filho soldado.

1310

Informes chegam avisando que os Margorianos destruiram um povo vizinho que o atacou. Dizem que não sobrou um só vivo.

1315

Neste ano Cenit tinha os soldados mais bem treinados de toda a região, promoviam torneios entre batalhões dos quais só não resultavam mortes poque a Pedra Filosofal era usada para recuperar a saúde dos participantes.

1316

Em 13 de junho nasce Manfred Racoski, filho de Hanz Racoski.

1320

Cenit recebe noticias de que grandes tropas margorianas se dirigem à cidade. Curioso é que as tropas desviaram do caminho para não ter de passar perto do Forte do Monte, onde ocorreu a maior derrota deles.

1321

Em 03 de fevereiro os Margorianos atravessam a fronteira e entram nas terras de Cenit.

1322

Em 12 de janeiro Franz Racoski lidera as tropas de Cenit contra os atacantes e tem uma vitória esmagadora não sobrando um margoriano vivo.

1323

Em 13 de maio nova tropa de margorianos entra em Cenit, desta vez maior e melhor armada, fazendo com que o exercito de Cenit recue para dentro das Muralhas.

1324

Em 9 de julho o Magister Mór Maurizio leva a Pedra Filosofal para um lugar seguro com medo dos margorianos a tomarem.

A guerra ainda perpetuou bom um bom tempo e, em 1350 Cenit vence ao invadir Margória, matando todos os seus habitantes e jogando sal à terra, para que a tornase infértil. Tais ordens vindas de Franz Racoski tinham como objetivo evitar que Margória pudesse renascer. De fato, proteger as gerações futuras não retirava o pesar de tantas perdas humanas durante todo o confronto. A Pedra Filosofal, que encontrava-se em poder do Magister Mor Maurizio nunca mais foi vista. Maurizzio morreu antes do final da guerra e seu filho nunca soube onde seu pai a guardava. Disse ele, certa vez que por várias e várias vezes pegou Maurizzio falando sozinho, e que quando indagado sobre suas "conversas", ele dizia que costumava "conversar" com um espírito (provavelmente Hélio Pessoa).


Voltar para V - Na Sala da Lareira

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.